Wednesday, July 11, 2007

Eutanásia: SIM ou NÃO?


O tema que hoje trago ao vosso assentimento é ,sem dúvida, um tema polémico que divide as sociedades modernas: a Eutanásia.
Esta prática representa nas sociedades contemporâneas uma complicadíssima questão de bioética e biodireito, visto que enquanto o Estado tem como princípio a protecção da vida dos seus cidadãos, existem aqueles que devido ao seu estado precário de saúde desejam colocar um fim ao seu sofrimento, antecipando a morte.

Independentemente da forma de Eutanásia praticada, seja ela legalizada ou não, é sempre considerada como um assunto controverso, existindo sempre prós e contras – teorias que poderão eventualmente sofrer alterações com o tempo e a evolução da sociedade.

Antes de continuar a minha dissertação sobre o tema, gostaria de abrir um parêntesis, para ressaltar que a eutanásia pode ser dividida em dois grupos: a "eutanásia activa", e a "eutanásia passiva". Embora existam duas “classificações” possíveis, a Eutanásia em si consiste no acto de facultar a morte, sem sofrimento, a um indivíduo cujo estado de doença é crónico e, portanto, incurável, normalmente associado a um imenso sofrimento físico e psíquico.
A "eutanásia activa", conta com um sem número de acções que têm por objectivo pôr término à vida, na medida em que é planeada e negociada entre o doente e o profissional que vai executar este acto.
A "eutanásia passiva" por sua vez, não provoca deliberadamente a morte, no entanto, com o passar do tempo, conjuntamente com a interrupção de todos e quaisquer cuidados médicos, farmacológicos ou outros, o doente acaba por falecer. Cessam todas e quaisquer acções que tenham por fim prolongar a vida. Não há, por isso, um acto que provoque a morte (tal como na Eutanásia Activa), mas também não há nenhum que a impeça.

Como todos sabemos existem argumentos a favor e contra esta prática.

Resumidamente, quem argumenta a favor da eutanásia, acredita que esta seja um caminho para evitar a dor e o sofrimento de pessoas em fase terminal ou sem qualidade de vida, um caminho consciente que reflecte uma escolha informada, o término de uma vida em que, quem morre não perde o poder de ser actor e agente digno até ao fim.
Esta posição tem como base raciocínios que participam na defesa da autonomia absoluta de cada ser individual, na alegação do direito à autodeterminação, direito à escolha pela sua vida e pelo momento da morte.

Em relação aos argumentos contra, esta posição assentam em factores religiosos, éticos até aos políticos e sociais. Do ponto de vista religioso a Eutanásia é tida como uma usurpação do direito à vida humana, devendo ser um exclusivo reservado ao “Criador”, ou seja, só Ele pode tirar a vida de alguém. “ A Igreja, apesar de estar consciente dos motivos que levam a um doente a pedir para morrer, defende acima de tudo o carácter sagrado da vida.

Contrariando esta tendência de luta a todo o custo, em alguns casos surgem os doentes que realmente estão cansados de viver, que não aguentam mais sentirem-se um fardo, ou sentirem-se sozinhos, apenas acompanhados de um enorme sofrimento de ordem física, psíquica ou social. Uma pessoa cuja existência deixou de lhe fazer sentido sofre, no seu íntimo, e muitas vezes isolada no seu mundo interior; sente que paga a cada segundo que passa uma pena demasiadamente pesada pelo simples fato de existir.

Num país laico, como o nosso, em que a maioria da sua população é de orientação religiosa cristã, rege-se pela palavra de Deus inscrita na Bíblia, segue maioritariamente o que Deus ordena; “Não matarás”. Também por isto é fácil compreender o número de famílias que não considera Eutanásia como opção.

Gostaria desde já claro, que sou favorável à prática da eutanásia, embora sabendo que será sempre uma decisão difícil de tomar, especialmente se se tratar de alguém muito próximo de nós( Pai, Mãe, Marido, Filhos).

No entanto, não é menos verdade que para mim este é um verdadeiro acto de amor, para com quem sofre, para quê prolongar a sua agonia?

Se realmente amamos essa pessoa devemos respeitar o seu pedido, tendo em vista minorar-lhe o sofrimento, por mais que isso nos custe.

Estou certa que todos ainda estarão lembrados do caso de Ramon Sampedro, aquele espanhol que lutou legalmente, cerca de 30 anos, pela sua morte.

Era uma pessoa que se encontrava confinado a uma cama, devido a uma acidente fatal, e definia-se a si mesmo como: “ Uma cabeça viva num corpo morto”, e o seu maior desejo era libertar-se desse inferno do qual não poderia escapar sem a ajuda de outrem.

O livro escrito por este homem, cujo titulo é: “Cartas do inferno” constitui um comovedor testemunho de um homem, que procurou, incessantemente, a liberdade através da morte.
Travou várias batalhas judiciais para obter este seu último desejo, tendo o caso aberto, por isso, um enorme debate sobre a eutanásia, que se foi desvanecendo com a morte de Sampedro, alegadamente, assistida por alguém que acreditava no seu direito a um final digno.

A pergunta que deixo no ar é se uma pessoa nestas circunstâncias não poderá desejar que a sua vida acabe, no caso de se ver numa situação em que, sofrendo de um estado incurável e doloroso ainda é capaz, de expressar o seu desejo de morrer?

Que direito têm os restantes de lhe prolongar o sofrimento, em nome de factores religiosos, ou outros?

Quanto a mim é óbvio que o doente pede eutanásia porque tem dores, está em sofrimento, está num espaço de completa desumanização, a qual já se torna insuportável, portanto para quê prolongar esta dor?

É evidente que ninguém quer morrer se existirem chances, mas assim perante estes quadros é lógico que o queira ou não?

Na minha perspectiva, o , o doente deveria ter direito a recusar "estar eternamente ligado a um ventilador" ou ser submetido a uma cirurgia arriscada de escasso efeito para a sua qualidade de vida.

E vocês, caros leitores ,qual é a vossa opinião?

Saudações diabólicas.

43 comments:

Babe, a Certificada said...

A minha mãe morreu com um cancro na mama. Sofreu ao longo de 3 anos, mas o último foi, sem dúvida, o pior. Quem já passou por essa experiência, sabe o quanto o doente sofre e os que o acompanham. Sou a favor. Se o doente já não tem qualquer hipótese de cura e sofre dores fisicas e psicológicas, tem todo o direito de decidir como pretende terminar o resto da sua vida. No final, a eutanásia é ajudar a morrer os que já nem força têm para o fazer!

Su said...

este é um assunto muito compelxo.....

concordo que cada um tem direito a optar por uma melhor qualidade de vida.....

em casos extremos claro que sou a favor..não poderia deixar de estar....

penso o mesmo em relação ao que me poderá suceder...a opção será essa, sem dúvida

jocas maradas

Zorze said...

Diabólica, quase que tive de tirar um dia de folga para ler o teu texto ;) Claro que estou a brincar e acho engraçado o esforço que fazes para que tudo esteja lá. Como tal, o texto está muito completo e, naturalmente, bem escrito - muito bem!

Bom, adiante...

A minha opinião?! Acho que vivemos numa autêntica hipocrisia. Hipocrisia quando o Estado se mostra preocupado connosco, quando o que pretende de cada cidadão é, meramente, o lucro. Somos um número e só na hora da morte, lá por azar, é que nos começam a tratar como tivessemos importância.

Beijos ***

Ana said...

Primeiro: Eu não sei bem qual é a minha posição em relação à eutanásia. Por um lado axo que em casos extremos como o do espanhol Ramon, que a pessoa tem consciencia de qual é a sua vida, as suas limitações e que não existe nenhum tratamento possivel para ajudar a recuperar e que essa mesma pessoa considera que é o melhor para ela, sinceramente axo que se devia se aceitar e respeitar a sua decisão mas dando sempre tempo para que a pessoa pondere bem (tb n será certamente necessario esperar 30 anos).
Por outro lado no caso de doentes com cancro, axo que não é a melhor opção, quer dizer só for considerado eutanasia se a pessoa se recusar a fazer os tratamentos...
é complicado lidar com essa situação. Nunca vivi nenhum caso semelhante (felizmente não é comum existirem mts casos), apenas com a animais e tenho a dizer é um decisão mto penosa e que hj posso dizer que ja a devia ter tomado uma vez, evitando que sofresse tanto tempo, mas na altura não fui capaz...


Segundo:Obrigada pelo teu comentário no meu blog


Terceiro: quem sabe se um dia não nos voltaremos a encontrar neste imenso espaço, em outro lugar, ou aqui sob outra identidade ;)


bjs

Belzebu said...

Li, reli e vou fazer questão de comentar! Esta é uma questão que irei postar brevemente e que faz todo o sentido, porque fala de vida, de qualidade de vida e do direito a pôr um fim a um sofrimento que ninguém pode questionar!
Vou voltar a horas decentes!

Um abraço infernal!

Jose Martins said...

A minha opinião? Se já não existe um sopro de esperança para se continuar a viver na m***** deste mundo... o melhor é ser embalado no sobretudo de pau para o crematório ou para os torrões!
Bem melhor dormir o sono eterno do que estar a sofrer, respirar artificialmente e alimentado por uma panhinha!

Joana said...

Sem dúvida que a eutanásia é um tema mto controverso que tem vindo a ser debatido desde há muitos séculos atrás e será durante muito tempo. Existem sempre argumentos contra e a favor sendo difícil chegar a um consenso.

Eu sou a favor da eutanásia. Primeiro porque se somos livres para fazermos o que queremos com o nosso corpo também o devemos ser quando o corpo se torna num remoinho de sofrimento.

Claro que não pode ser uma decisão tomada de animo leve e não para todas as situações. Mas quando o ser humano deixa de ter capacidade de pôr fim à sua própria vida... que sentido faz premanecer na angustia e no sofrimento? A meu ver,nenhum.

Acho que a eutanásia deve ser vista como o direito de morrer sempre que assim se justifique.


beijinhos**

Diabólica said...

BABE A CERTIFICADA,

Lamento o q aconteceu à tua mãe, mas tu melhor q mtos de nós percebes o q é sofrer, sem sentido.

" No final, a eutanásia é ajudar a morrer os que já nem força têm para o fazer!", concordo a 100%, é uma questão de dignidade.

BJS


SU;

É sem dúvida uma questão complexa, mas q pode acontecer a qq um de nós ou aos nossos, por isso temos q estar preparados, se é q alguma vez isso seja possível.

Mas, há q reagir c vista a diminuir o sofrimento.

Se tal me acontecer, tb peço aos meus q me ajudem nesse sentido, e q respeitem a minha vontade.

E acima de td ao legislador.

BJS


ZORZE,

Pois, tenho noção q o texto está grande, melhor, enorme, mas n consegui fazer menor, pq o tema me empolgou.

"Hipocrisia quando o Estado se mostra preocupado connosco, quando o que pretende de cada cidadão é, meramente, o lucro. Somos um número e só na hora da morte, lá por azar, é que nos começam a tratar como tivessemos importância."

A palvara chave é mm HIPOCRISIA e é isso q me chateia.

Q dto tem o Estado de decidir sofre a nossa última vontade, sobre os nossos sentimentos???!!!

Nunca lhes dissemos nada ao longo da vida, sp fomos apenas nºs e pq o subito interesse????

HIPOCRISIA, sem dúvida.

BJS.


ANA,

Sim, n se deverá realizar a eutanásia por dá cá aquela palha, mas qd se justifica, pq n respeitar a pessoa q sofre??

Quanto aos doentes oncológicos, acho q são os q mais poderão necessitar, n é por caso q o médicos oncologistas se estão a unir a pouco e pouco a favor da eutanásia.

E sim, esperemos q sim, q nos voltemos a encontrar.

BJS e muito boa sorte. Mas, volta.


BELZEBU,

Obrigada pelo comentário e n te preocupes c o horário, ainda estavas consciente! LOL

Qd postar algo sobre este tema,gostava q me avisasses, pq é um tema q me interessa muito.

Bjs


JOSÉ MATINS,

Concordo inteiramente, temos q ser realistas.

"Bem melhor dormir o sono eterno do que estar a sofrer, respirar artificialmente e alimentado por uma panhinha!"

É mm isto por mais q doa a quem fica. Mas, quem ama tb tem q tomar decisões destas, decisões díficeis.

BJS


JOANA,

"Eu sou a favor da eutanásia. Primeiro porque se somos livres para fazermos o que queremos com o nosso corpo também o devemos ser quando o corpo se torna num remoinho de sofrimento. "

A meu ver a essência deste assunto é essa mm.

Por isso é q ,em total concordância ctg, acho q a Eutanásia deverá ser vista como o direito de morrer.

BJS




Mas, aqui vai o meu pedido de desculpas, e se necessário manda o recibo! LOL

beleza de mulher said...

somos humanos temos os nossos direitos, todos temos openioes diferentes mas cada qual é como nada podemos fazer
por exemplo
meu pai morreu de cancro no estomago
minha mae morreu de diabetes
meu marido tive um cancro num rim ,que agora so tem um rim como vez que podia eu fazer para modar nada!!! beijos maldosos

Gaja Boa 1 said...

É FODIDO!!!

Eu realmente não tenho uma opinião cimentada!!

Eu gostaria de morrer com dignidade, é um facto. MAs... por outro lado... Era incapaz de fazer isso a um familiar meu, muito menos a mãe, pai, etc...

É muito complicado!

beijos descomplicados

Anonymous said...

Olá e antes demais parabéns pelo blog. Nunca comentei em nenhum outro blog, mas este tema fez-me mudar de ideias.
Sou a favor da eutanásia, apesar que me preocupa quem "cá" fica a sofrer com a nossa perda.
Desde sempre eu disse à minha família e marido que, se algum dia me acontecer algo, não me deixem ficar ali em sofrimento e tenho-o escrito, assim como o desejo de ser cremada.

Maria

Klatuu o embuçado said...

Sim, claro! Mas quero ser eu a seleccionar quem vai ser «eutanaziado»!! :)
Acho que vou começar pela net... com aquelas gajas dos blogs de mostra a cona!

Klatuu o embuçado said...

P. S. Nesta caixa de comments até faria uma bela colheita!

just_me said...

É sem dúvida um assunto muito complicado e que nunca irá gerar um consenso.
Eu, pessoalmente, acho que a vida é um direito que deve ser respeitado mas com dignidade. De que vale estar vivo se isso se resume a respirar, sofrer e fazer sofrer?! Sou a favor da eutanásia desde que se cumpra a vontade da pessoa em causa. É nao se toma uma decisao destas de animo leve e que custa muito mas penso que será melhor do que vegetar numa cama e definhar até à morte.

Diabólica said...

BELEZA DE MULHER,

Antes de mais, obrigada pela tua visita ao meu espaço.

Compreendo o teu sentimento e respeito a tua opinião.

A minha questão, aquela q faz defender a eutanásia é o sofrimento inútil das pessoas.

Mas, claro q cada qual tem a sua opinião.

Espero q a vida te traga melhores dias.

BJS E VOLTA SP.


GAJA BOA 1,

Compreendo a tua posição, a qual respeito.

Será, sem dúvida uma decisão defícil de tomar, mas para mim é uam questão de amor e de n sermos egoístas pq queremos os nossos entes queridos perto de nós.

N será egoísmo da nossa parte?

BJS.


ANONYMOUS,

Fico contente por ter gostado do meu espaço.

Como tb partilho da sua opinião, tv vá tb deixar algo escrito para q a minha vontade, se algum dia me encontrar numa situação díficil destas, q se cumpra a minha vontade.

Fiquei c a "sugestão".

Quanto ao ser cremada, ainda n me decidi...

BJS e volte sempre.


KLATUU O EMBUÇADO,

Descupa-me discordar da forma como deste a tua opinião, visto se tratar de um assunto sério e q envolve sentimentos.

Noutra situação, acharte-ia piada, mas neste contexto não consigo.

BJS


JUST ME,

"acho que a vida é um direito que deve ser respeitado mas com dignidade."

A questão, do meu ponto de vista, é essa mm. É a dignidade q está em causa. Logicamente n advogo a prática da Eutanásia sem mais nem menos, mas em situações de profundo sofrimento e a pedido de quem sofre, acho q deve ser concedido.

BJS

sonhador said...

sinceramente, como tu lanças temas bastante complicados.

mas faço meu o comentário da gaja boa 1.

bjos.

zetrolha said...

Era inevitável não mencionar o Ramon Sampredro,exclentemente retratado no filme "Mar adentro",quando o tema é eutanásia.
Fica a pergunta:Haverá mais Sampredos capazes de lutar por uma vontade própia?.
Que questões morais se podem opôr à eutanásia,quando se mata por uma migalha de pão ou por muitos deus que nem existem?
Deus,ou seja lá o que for,entregou-nos o livre arbítrio,da nossa vida fazemos o que queremos,desde que não interfiramos com a dos outros.
Há tempos vi um documentário sobre a eutanásia.Na Suiça há um clinica com voluntários que acompanham os últimos dias de vida daqueles que por cobardia,medo,dor,sofrimento,etc.,pôem termo à vida com a ajuda.Uma morte digna e de mãos dadas é o seu lema.

Carreira said...

Olá! Cá estou eu! Vou falar de uma experiência pessoal.
O meu pai morreu há 10 anos.
Os últimos dias de «vida» foram suportados com um sofrimento brutal com a ajuda da poderosa morfina. Não havia esperanças de melhoria. O diagnóstico estava feito, não haveria salvação.
Portanto, considero que, nestes casos, a eutanásia pode abreviar o sofrimento do paciente e dos seus familiares que assistem ao definhar constante, sentindo uma enorme impotência face à situação.
Aceito o recurso à eutanásia, desde que regrado e feito de forma consciente.

Sapo said...

Eu gostava de ter uma resposta a este problema, por um lado acredito que a unica coisa sagrada neste mundo é a vida e acredito que enquanto há vida há esperança, mas quando sei de historias como aquelas que li aqui nestes comentarios, penso que deve haver um modo de morrer com dignidade e sem dor, a vida tem alem de ter qualidade, alem de existencia.
Não há compromisso possivel neste caso ou é sim ou não...
Eu não sei, tem de existir um limite, bem vejamos o caso do espanhol, embora ele se sentia como "cabeça viva presa a um corpo morto" ele contribuiu para a literatura mundial, está bem que foi só a relatar o seu desejo de morrer, mas se quisesse podia ter acrescentado mais escrito outros livros.
Eu a unica coisa que tenho a certeza é que não sei, posso estar aqui a devender a santidade da vida mas quando vir uma pessoa que amo a sofrer sem necessidade e sem esperença e a me pedir para acabar com o sofrimento não sei se tenho coragem de o negar.

Muito bom tema faz pensar, obrigado

Borboleta said...

Eutanásia... polémico, sem dúvida... Para mim, somos nós que comandamos as nossas próprias vidas. Somos nós que decidimos como viver, durante toda a nossa vida. Escolhemos os vários caminhos que se vão atravessando... e um dia, ficamos muito doentes, sofremos muito de dores físicas. Ficamos presos a uma cama, ou lá o que seja. O dia a dia é a dor e o sofrimento. Deixa-se de viver... E então, decidimos terminar com essa tortura, porque só queremos livrar-nos desse peso... Sim. Sou a favor. Temos direito à dignidade e à paz de espírito e do corpo. De nos libertarmos desse peso.

Alice said...

Defininitivamente sim. A vida é para viver, não para sobreviver.

FC said...

Antes de mais a minha opinião:
A favor

Mas há alguns aspectos que queria chamar a atenção, antes de mais, Portugal é um país de religião católica, o que é manifestamente diferente de ser cristão. Ou seja, posso ser cristão sem ser católico. E ao sê-lo sou livre de prisões dogmáticas.

Outro aspecto pertinente é o direito individual.

Nós somos donos de nós mesmos, ponto final parágrafo.

O nosso ser só a nós nos pertence e a mais absolutamente ninguém, como tal temos o pleno e absoluto direito de fazer com ele o que bem entendermos, seja por fim á propria vida como assistir alguém a fazê-lo. É tudo uma questão de escolha individual. E as consequencias que daí se vierem a retirar é com cada um, sejam elas consequencias morais, de culpabilização, de arrenpendimento, de satisfação, de orgulho, etc, desde que não externas, como sejam prisão, multas, ostracismo, etc.

Queria ainda deixar uma ultima reflexão:

A pratica de eutanasia passiva, ou seja, morre-para-aí-sozinho-que-eu-não-te-dou-nada-para-acelerar-isso-ou-tirar-te-as-dores... parece-me ser da maior crueldade à face da terra.

PS: parabéns pelo tema

INCÓGNITA said...

A eutanásia é de facto um tema de bastante pertinência na sociedade actual,que levanta mta controvérsia e que nos obriga a pensar nas diversas situações que poderão surgir na prática da eutanásia.

Quando nos referimos à luta dos direitos humanos,em que estamos a falar especificamente? Em vivermos pelos nossos próprios direitos,ou vivermos em função dos nossos direitos conjuntamente com os direitos dos outros?
Sim, é verdade que não vivemos sem os outros...ao tomarmos a decisão de acabar com uma vida...indirectamente que estamos a retirar uma peça da vida de outro. De outro que nos ama,e que precisa de nós...será um acto de egoísmo?
Mas... viver... viver no sofrimento,na angústia, viver apenas por viver,sem ter prazer,viver cada dia com mais vontade de morrer,apenas para agradar quem nos ama...será um acto de altruísmo?Fará do doente um herói? E a familia? Como se sentirá?
Culpa? A culpa sempre existirá... seja qual for a opção.

Sou a favor da eutanásia.
Para quê? Para quê viver no desespero?
Não escolhemos nascer.Mas podemos escolher a morte. A saída para o sofrimento. É uma opção.
Porque uma vida se não é feliz,nem sequer merece o nome de Vida.

Daniela

INCÓGNITA said...

Ah... parabéns pelo blog.
Está interessante :)

Beijos

Ana said...

Se sou a favor da Eutanásia? Sim
Se era capaz de ajudar alguém que amo a morrer? Não Sei!
Acredito que a vida deve ter dignidade e qualidade, e quando assim não é não faz sentido prolongar o sofrimento, o desespero, a angústia de quem todos os suspiros são pelo descanso eterno, de quem a cada gemido suplica pelo fim.

Acima de tudo acho que tudo se prende a uma questão simples... mais do que o direito à vida ou à morte, existe o direito à escolha! Deve ter regras definidas e limites bem impostos, mas devemos de ter o direito a escolher se queremos continuar a sofrer ou seguir... se os que nos amam não forem capazes de nos ajudar (pq digam o que disserem não é facil deixar ir alguem que amamos, por mais que saibamos que está a sofrer... a morte é demasiado definitiva para a aceitarmos naturalmente) deve existir um apoio nesse sentido, numa especie de cuidados paliativos.

Excelente tema...

Bjs

Diabólica said...

SONHADOR,

"sinceramente, como tu lanças temas bastante complicados.", lol

N te esqueças q eu sou maléfica, n leste o post de apresentação?! Por isso, faz parte.

N, mas agora a sério é um tema q me toca muito e que acho q deve ser debatido.

BJS


ZE TROLHA,

Tb vi o fime, mas muito sinceramente gostei mais do livro, pq acho q no filme podiam ter ido um pouco mais longe, n para explorar sentimentos, mas p mostrar melhorar a dura realidade diária daquele homem q lutou até à morte, pela morte, passo a redondância.

"Que questões morais se podem opôr à eutanásia,quando se mata por uma migalha de pão ou por muitos deus que nem existem?"

Concordo a 1000% daí achar q td isto n passa de uma hipocrisia, de pessoas e designadamente entendidades q n querem dar o dto a uma morte digna a quem o pede conscientemente, ou melhor o implora!

"Deus,ou seja lá o que for,entregou-nos o livre arbítrio,da nossa vida fazemos o que queremos,desde que não interfiramos com a dos outros."

É esse mm o meu entendimento da questão, nada nem ng têm o direito de prolongar o nosso sofrimento, a nossa agonia.

Quem n quiser fazer n faça, mas respeitem quem o quer fazer e quem quer ajudar a fazê-lo.

Em relação ao lema de vida dos voluntários q evocas acho lindíssimo e n é nenhum crime, mas sim um acto de humanidade.

BJS


CARREIRA,

Antes de mais quero lamentar sinceramente a tua perda.

Mas, e nesse sentido, ng melhor q tu e outros como tu para saberem o q é ver alguém querido defenhar e nada poder fazer.

Nesse sentido, insisto, para quê prolongar esse sofrimento?

Devemos ter sim é piedade, de uma forma consciente e racional, sem dúvida.

BJS


SAPO,

Compreendo a tua "indecisão" no q diz respeito a esta temática, é normalíssimo, o tema mexe com os nossos sentimentos, crenças, etc, etc, etc.

Mas, tb disses-te: "a vida tem alem de ter qualidade, alem de existencia.", e será qualidade acabar os dias num profundo e desumano sofrimento???

Eu acho de todo q não. Mas cada um tem o direito á sua opinião e respeito muito a tua e a de pessoas como tu.

Como diz a sabedoria popular: "Cada cabeça sua sentença".

Bjs.


BORBOLETA,

Acho q resumis-te, brilhantemente, o problema numa frase: Temos direito à dignidade e à paz de espírito e do corpo."

Bem hajas.

BJS

antonio said...

já deves ter notado que o meu blog deixou de existir, mudei de casa e espero a tua visita

Topo de Gama said...

bem, em resumo, eu sou a favor de tudo o ke seja dar liberdade a kem ker ke seja... Se um gajo ker morrer, quem sao os outros pra dizer ke nao!?

Pessoalmente, acho preferivel um "fim" rapido e indolor, que um "fim" lento, repetitivo e desgastante pra kem sofre e pra sua famelga...

Eu sou a favor da eutanasia..

Sandokan said...

Já viste o filme espanhor MAR ADENTRO?

Quem tiver dúvidas que o veja.

A FAVOR!

SA said...

essa questão é realmente muito delicada, e sinceramente não consigo ter opinião formada: por um lado a angústia de se viver em sofrimento permanentemente, por outro lado: a questão de se tirar a vida a alguém.

Gaja Boa 2 said...

Eu concordo com a eutanásia em caso de morte cerebral. Devia ser dada essa hipótese sem moralismos.
Nos casos de doença terminal porque não? Se o doente assim o desejar, porque sofrer sabendo qu é para morrer?

bjs

tuga said...

Ja vim aqui varias vezes e nao consegui fazer um coment que exprima realmente o q sinto. Complicado. Assim de repente chegar alguem e dizer: precisamos da sua autorizacao pra limpar o sebo ao seu familiar. Porra.... um gajo fica a bater mal. Como disse... aceito quem o faça, mas.... comigo!!!! só se fosse por manifesta vontade do doente. Acho que era um peso insuportavel para o resto dos meus dias.

conhecimento said...

é muito complexo este tema, mas entendo que se deve dar e fazer a vontade a quem está a sofrer e sabendo que não tem outra solução senão a de esperar pelo dia, só ke há casos muito demorados e nestes será justo tirar a vida a um ser quando ainda pode demorar muito tempo, que o que se julga ser um caso terminal acaba por não o ser. Atanázia dei eu ao meu blog, algo me pedia para o eliminar e fi-lo num instante, depressa morreu e mais depressa ainda me arrependi de o ter executado.

A Lei da Rolha said...

Sou a favor da eutanasia!!!
Sendo uma doença mortal que implica muito sofrimento ao doente...sim sou a favor!
bjs

Casemiro dos Plásticos said...

sobre este tema não tenho uma opinião concreta eu sei a vida é uma coisa demasiado valiosa para deitarmos assim no "lixo" mas por outro lado sofrer dulorosamente por algo é deveras ingrato... talvez sim...

Diabba said...

Eu votaria SIM!

Por todas as razões, mas a principal é que, se já se chega a um estado em que nada mais há a fazer e é a própria pessoa a pedir... porque não encurtar-lhe o sofrimento?

Que direito há de lhe dizer "ah qr morrer? pois temos pena, não pode, vai ter que sofrer essas dores atrozes mais uns tempos"

beijo d'enxofre

Diabólica said...

ALICE,

Entende de igual forma, especialmente nos momentosem q tudo q nos resta é a nossa diginidade, a morte já é certa e nada há a fazer.

BJS e obrigada pela visita.


FC,

Advogo tb e acima de td o direito individual, o nosso livre arbitrio de tomar decisões acerca da nossa vida, erradas ou certas , isso será outra questão.

E se estamos a sofrer, pq prolongarmos ou prolongarem-nos o nosso problema, pq n respeitar o nosso direito individual, neste caso, à morte?

Quanto à prática da eutanásia passiva, tb nme parece um bom método, pq a morte deverá ser o mais célere possivel, para evitar o sofrimento, e não antagonizar a pessoa q sofre, qté q por falta de meios acaba por morrer.

Bastante desumano, sem dúvda.

BJS e obrigada pela visita.

INCÓGNITA

Penso q com esta frase conseguis-te sintetizar e dizer aquilo q é realmente importante e q justifica a prática da Eutanásia: "Não escolhemos nascer.Mas podemos escolher a morte. A saída para o sofrimento. É uma opção.
Porque uma vida se não é feliz,nem sequer merece o nome de Vida."

ANA,

É esse mm direito à escolha q defendo.

Em realação à decisão, poder ser delicada para um familiar, concordo e compreendo perfeitamente.

Mas n será bem mais díficil ver a pessoa a sofrer, qd sabemos de antemão q nada mais há a fazer?

De qq forma, concordo com a existência de outras alternativas, de entre quais como bem disses-te, os cuidados paleativos.

Bjs

Diabólica said...

António,

Sim já havia notado, e claro agora q já sei, voltarei logo q me seja possível.

BJS

TOPO DE GAMA,

"Pessoalmente, acho preferivel um "fim" rapido e indolor, que um "fim" lento, repetitivo e desgastante pra kem sofre e pra sua famelga...", esse é exactamnete o ponto de vista, e aquilo q me leva a aceitar a eutanásia.

Bjs


SANDOKAN,

Já, já vi o filme, embora tenha preferido o filme, no entanto tb acho q é um excelente exemplo do q é viver a sofrer, sem ng querer(irmão) ou poder ajudar.

Eram precisos 30 anos de sofrimneto p o final ser aquele q se veio a verificar, e q teria evitado tanto sofrimento inútil??

BJS.


SA,

Pois é sem dúvida uma questão díficil, mas tal como o Sandokan aconselho-te a ver o filme " MAR ADENTRO", tv ajude a te poderes posicionar, seja de q forma for: a favor ou contra.

BJS


GAJA BOA 2,

"Nos casos de doença terminal porque não? Se o doente assim o desejar, porque sofrer sabendo qu é para morrer?"

Concordo plenamente, é q nem temos esse direito!

BJS

Elden said...

Bem.. aqui está um tema delicado..

Tal como aqui ja referiu eu também tive um familiar que morreu, mas de um tumor cerebral..

Se alguém ponderou a hipótse eutanásia?
Tratava-se de um familiar querido pois era aquele avô com que toda gente sonha. E devido a esse facto a melhor soluçao seria a eutanásia pois, estar numa cama sem saber sequer articular três palavras seguidas perceptiveis, depender dos outros para as coisas mais básicas com comer e tomar banho é muito lastiável..

Depois de diagnosticado o tumor foram 3 meses agostiantes onde toda gente sofreu e jamais alguem saberá o que o meu avô sofreu ao estar preso ali na cama a depender de tudo e todos..

Igreja??
nao me considero completamente religioso pois acredito que exista algo ou alguém superior, mas não sobre a forma de personagem, além do mais todos temos sempre fé..

Em relação ao estado e às nossas leis, acho que ainda estamos muito atrasados no que concerne à qualidade de vida e aos direitos humanos dos nossos cidadãos

Diabólica said...

TUGA,

É sem dúvida um tema controverso, daí muitas vezes para algumas ser díficil tomar uma decisão final.

No entanto, qd falo de nós familiares respeitarmos a vontade do nosso familiar q está a definhar, é somente se ele demonstrar essa vontade.

De outra forma, tb me parceria altamente incorrecto.

BJS


CONHECIMENTO,

"só ke há casos muito demorados e nestes será justo tirar a vida a um ser quando ainda pode demorar muito tempo, que o que se julga ser um caso terminal acaba por não o ser. "

Poderá ser injusto se se verificar a possibilidade de uma cura, isto qto a mim, ou se ainda mm c sofrimento, o doente optar por aguardar por um avanço da medicina.

De resto acho q n, mas é apenas a minha opinião.

"Atanázia dei eu ao meu blog, algo me pedia para o eliminar e fi-lo num instante, depressa morreu e mais depressa ainda me arrependi de o ter executado. "

Mas, felizmente aqui ainda vais a tempo de o reanimar.

E assim fazes felizes os que ficam ( bloguistas)!

Para a próxima já quero poder visitar o teu espaço.

P.S- Logo q estejas no activo avisa-me!

BJS


A LEI DA ROLHA,

Assim é q é falar. O sofrimento pelo qual mtos passam é completamnete desumano.

BJS


CASEMIRO DOS PLÁSTICOS,

E quem é sincero n merece castigo.

Terás q pensar mais sobre o assunto, de facto n é uma decisão q se tome de ânimo leve.

Aconselho-te a ver o fime " MAR ADENTRO", ou a ler o livro: " CARTAS DO INFERNO", talvez te ajude a tomar posição.

BJS


DIABBA,

"Que direito há de lhe dizer "ah qr morrer? pois temos pena, não pode, vai ter que sofrer essas dores atrozes mais uns tempos"

Dura e crua, prima, é assim mesmo.

Eu tb penso assim, parece-me o mais lógico, o sofrimento n é bom p ng, nem p quem está a passar por ele directamente, nem para quem o está a ver impotente(Familiares, amigos...).

BJS

ELDEN.

Antes de mais gostaria de lamnetae o sofrimento do teu avo.

Certamente, terá sido horrível, tb tive um avô q faleceu c essa mesma infermidade, e o sofrimento foi imenso, por isso consigo entender-te.

Sabes, se eu já achava a eutanásia podia ser positiva nestas situações, a partir daí renovei os meus votos e por isso hoje sou totalmente favorável a esta prática, c vista a evitar todo o sofrimente inerente a certas doenças.

Quanto às leis no nosso país estamos muito atrasados nesta temática, como em muitas outras, infelizmente.

BJS

Barão da Tróia II said...

Definitivamente SIM, boa semana.

Diabólica said...

BARÃO DE TRÓIA,

Obrigada pela tua opinião e uma boa semana para ti tb!

Bjs

Dilceu said...

Concordo plenamente com a eutanásia, somente quando a própria pessoa em sua sã consciência a solicita, como no caso de Ramon Sampedro; no caso da advogada, quando ela estava em plenas condições mentais, viesse a praticar o suicídio, ela não seria julgada pelo próprio ato, como sendo crime; ela reaparece no final do filme sem consciência, aí não concordo com a eutaxia se fosse requerida pelos familiares. Creio eu que cada caso é um caso em particular, que deva ser analisado separadamente dos demais. A ser humano deve ter a própria consciência da restrição da liberdade ou ainda da vida digna que ela merece. Quem deve fazer essa avaliação é ela própria, porque o que eu acho justo ou certo para mim em um determinado assunto pode ser injusto ou errado para os outros.