Thursday, April 12, 2007

IMCOMPETÊNCIA II, brevemente num CINEMA PERTO DE.... MIM!

Há relativamente pouco tempo,( Fevereiro de 2007) num artigo que intitulei de : “Até quando teremos que ser alvo da IMCOMPETÊNCIA??!!”, tive oportunidade de vos falar da situação porque se encontrava a passar a minha mãe.
Como vos disse na altura ela já está reformada há 2 anos, com o cartão de pensionista e tudo.
No entanto, como vos disse também , o Centro de Emprego, continuava insistentemente a enviar-lhe cartas , para que ela fosse a reuniões para oferta de emprego, e para que se ainda continuasse interessada num emprego lhes devolvesse o postal em anexo, devidamente preenchido! Caso não respondesse iriam proceder à anulação da sua inscrição.
Embora eu tivesse informado o referido Centro, as cartas continuavam a chegar-nos à caixa do correio.

É caso para dizer que “nos venceram pelo cansaço”, pois acabei por desistir.

Mas, o pior chega agora em Março do corrente ano.

Seria suposto enviarem à minha mãe, uma Declaração de Rendimentos, isto para efeitos de IRS e para Isenção em Serviços de Saúde.

No entanto, os dias passavam e nada, não havia meio de a Declaração chegar.

Resolvi entrar em contacto com os serviços, que me informaram que realmente já deviam ter enviado a Declaração, mas o máximo que a pessoa que me estava a atender podia fazer era enviar-me(como aliás devido ter sido feito logo inicialmente) o documento, mas assim já não chegaria a tempo do prazo de entrega.

Tinha impreterivelmente que ser entregue no centro de saúde, até dia 30 de Março.

Estávamos a 2 dias da data. A Sr.ª recomendou-me então que me deslocasse às instalações, deste organismo público, para me ser dada a maldita declaração.

Foi isso que fiz, como tenho a minha avó doente, fiz uma declaração, na qual a minha mãe me autorizava a levantar o documento. Tudo devidamente explicado, e assinado por mim e por ela. Fiz-me acompanhar por todos os documentos da minha mãe, que a outra colega me indicou para levar e os meus, claro.

Eram 8.30 da manhã quando entrei no referido serviço, e para variar só fui atendida às 11.50.

É agora que começa mais uma “novela”. Sou chamada e dirijo-me à secretaria para a qual o painel apontava.

Cheguei, disse “bom dia”, pois acho que as regras de boa educação cabem em todo o lado, mas a “múmia” que lá estava nem tojiu, nem mojiu.

Eu ainda assim, expliquei tudo aquilo que pretendia, educadamente. Mas, a Sr.ª não estava pelos ajustes e deve ter achado que eu era mais uns daqueles velhotes, com quem muitas delas falam como lhes dá na real gana.

Mas, comigo enganou-se, aguentei até onde pude depois tive que me “fazer entender”.

Quando digo à dita Sr.ª o pretendia ela pergunta-me logo, com maus modos,: “Mas quem és tu”?

Não sei, mas parece que agora está muito na voga tratar qualquer pessoa por tu...

Eu expliquei que era filha da requerente, que já havia falado com uma colega dela, que me tinha indicado tudo o que era necessário para tratar do assunto.

Peguei na Declaração que tinha feito, e informei-a que a minha mãe não se podia deslocar lá, pessoalmente, em virtude da minha avó estar doente, mas estava tudo devidamente assinado por ambas e que me fazia acompanhar dos documentos necessários, para confirmar a veracidade das informações nela contidas.

E eis que a Sr.ª me diz em maus modos: “Mas quem é que me garante que ela é tua mãe”?’??

Restou-me responder o óbvio, recomendei-lhe que verificasse os nossos B.Is.

Ao que ela me responde: “ Achas que eu sou parva e que enganas??”

Eu fiquei estarrecida, e ainda me passou pela cabeça que aquilo fosse uma cena para os apanhados….

Em seguida, olha para a morada da minha mãe e verifica que a morada que tinha era diferente daquela que estava colocada nos registos deles.

Expliquei-lhe mais uma vez, ainda em bons modos, que a minha mãe pouco antes de se reformar tinha ido viver comigo, e que deu aquela morada para ser mais facilmente contactável. Isso, havia sido explicado no Centro de Emprego, e eles não colocaram objecção nenhuma, até agradeceram a informação.

No entanto esta “Madame”devia estar literalmente a gozar com a minha cara, e continuava a dizer que a morada que devia figurar não figurava, e por isso não dava Declaração nenhuma e que a minha mãe tinha que estar presente.

É quando explico à “real besta” que eu estava ali, por causa de um erro dos serviços deles e não nosso, pois deveriam ter-nos enviado a Declaração, atempadamente, para a nossa morada.
Como não o fizeram, eu tive que me deslocar ali, perdendo assim tempo e dinheiro. Porque enquanto foi para enviar cartas do desemprego com a minha mãe já reformada, para isso já tiveram jeito.

E ela disse-me que eu era estúpida. Aí pronto, acabaram-se as educações.

Disse-lhe que não falava mais com ela, que me chamasse o seu superior.

Ela riu-se e disse : “ Não chamo nada”.

E eu disse que não falava mais com uma pessoa incompetente e mal educada.

E aí ela saca desta "frase pérola": "Eu sou licenciada, tenho um curso superior, e tu o que és???"
Tinha uma anel de curso para me mostrar e o comprovar!! Simplesmente ridículo.

Foi quando eu dei um murro na mesa e lhe disse que também era licenciada, mas que não era isso que estávamos a discutir.

Ao que ela responde: “ como posso acreditar nisso, se nem anel de curso tens??”

A minha última resposta, foi dizer-lhe que, ao contrário dela, não tinha necessidade de andar todos os dias com o anel, porque não precisava de mostrar ao mundo que tinha um curso superior. A mim bastava-me eu saber, e que ao contrário dela não me achava mais do que ninguém por o ter.

Pedi que me chamassem o superior, até que após uma gritaria entre ela e outras colegas, e as pessoas que estavam à espera a apoiar-me, lá alguém se decide a chamar o superior hierárquico.

Explico-lhe o que se passava, e ele questiona a SR DRª porque é que ela estava a fazer aquilo, que eu que tinha razão, para quê complicar a situação.

Então, a outra colega atendeu-me e deu-me a TÃO ALMEJADA DECLARAÇÃO.

E a Dr.ª continuava a provocar-me, e eu pedi-lhe a identificação porque queria fazer uma reclamação. Como seria de esperar recusou-se, mas o chefe lá me deu a identificação e disse-me para eu o acompanhar.

Fui então com esta outra “alma” , que queria que eu fizesse uma reclamação num papel perfeitamente normal.

Como é óbvio disse-lhe que não, que queria o livro de Reclamações, que todos os estabelecimentos públicos ou privados tinham obrigação de ter.

E ele ainda me perguntou, se era mesmo necessário chegarmos a este ponto???

Ao que respondi que sim, porque um simples papel assim que eu virasse costas, provavelmente iria para o lixo, e eu queria reclamar devidamente para quem de direito tomasse conhecimento da situação.

Por isso, já sabem, a partir de agora quando forem a Repartições Públicas, e afins levem os vossos anéis de curso!!!!

Mas, agora levantou-se-me uma outra questão: Será que esta Dr.ª também andou na “UNIVERSIDADE INDEPENDENTEMENTE”, na qual ao que parece muitos tiveram acesso ao canudo independentemente de lá porem os pés????
Isto, claro com o devido respeito, por todos aqueles alunos, que nada têm a ver com esta polémica, que assolou a sua universidade.
Saudações Diabólicas.

13 comments:

Sandokan said...

Ninguém pode negar o livro de reclamações seja a quem for que queira reclamar. É o País que temos, não temos que nos admirar. Isto cada vez está pior!! Já não se respeita nada.

Um abraço, bom fds e obrigado pela tua visita no:

http://lusoprosecontras.blogspot.com

tuga said...

Vc é uma mulher do Norte . . . caragoooooooooo. Mas olhe, essa historia do livro de reclamacoes!!! nao acredito nem confio nesse metodo, por experiencia propria. Ainda fiquei mal visto. Nada como descargar logo ali. Uma boa peixeirada nunca fez mal a ninguem, se possivel até que alguem chame a GNR, para servir de testemunha.

Enfim... said...

não quero com toda a certeza assistir a essa desgraça desse filme lol

Bjokas

Ana said...

fiquei curiosa com uma coisa, sempre escreveste a tua reclamação??
Realmente às vezes as pessoas abusam, além de incompetentes são mal-educados!!

Su said...

espero que tenhas feito a reclamação no dito livro..caso contrario.....nada sucede.......
é sempre assim.....
..........mediocres existem com curso ou sem......pq uma coisa é formação outra é educação...........

jocas maradas

Topo de Gama said...

Fogo mulher!!

Mas em ke terra vives tu? Passa-se de tudo aí!! Nc vi como isso!? E ke é essa cena do anel?? Eu sou licenciado tb, e nem sequer tenho anel, nem traje, nem cartola nem bengala... Acho absurdo essas cenas do "estatuto de doutor"...

Ha funcionarios ke nem deviam ter emprego, qt mais um cargo publico!!!

bjins :)

O ultimo post ke comentaste no meu blog era do Casanova :D mas fikei com o "lindo" pra mim :D

Diabba said...

ai a porra...

eu nunca comprei o anel do curso... significa isso k num tenho curso nenhum???!!

já agora, se a minha mamã, k não percebe nada de aneis de curso, achar bonito determinado anel (de curso) o facto de o usar tranforma-a logo em Drª???.

Eu provo o que sou pela Cédula Profissional... será k essa administrativa tinha tal coisa?? (ou saberá o que é...)

beijos d'enxofre

P.S. fizeste bem em usar o livro de reclamações, já o fiz várias vezes! não aturo más criações!

Grão Vizir said...

caso pa livro d reclamaçoes realmente.

Casemiro dos Plásticos said...

é triste, é triste e mete raiva!

Diabólica said...

SANDOKAN,

Pois, infelizmente não há mais nada que se possa dizer....

Não tens que agradecer a visita, sempre que possa irei à tua casa com muito gosto.

Beijinhos e boa semana.


TUGA,

Bem, eu não sou do Norte, mas a minha ascendência é de lá.

Se calhar, é o sangue que me corre nas veias!

Quanto ao livro de reclamações, já teve algum problema, foi?

Eu vou esperar mais algum tempo, se não irei tomar outras medidas para fazer valer os meus direitos(ISTO É SE ELAS EXISTEM)!

A peixeirada, realmente, pelo menos tem efeitos imediatos, enquanto que o resto é o que todos sabemos...

Beijinhos, obrigada pela visita e boa semana.


ENFIM;

Olha, nem eu queria ter sido protagonista.

Tantas oportunidades para ter o papel principal, e tinha q me sair logo esta! LOL

Beijinhos e boa semana.


ANA,


Sim, escrevi, agora estou à espera de resposta...

Mas, eles mesmo imcompetentes e mal-educados ganham bem , e os outros é o que vê!

Beijinhos e boa semana.


Su,

Fiz, fiz no livro "oficial".

"mediocres existem com curso ou sem......pq uma coisa é formação outra é educação...........",

CONCORDO A 200%.

Beijinhos e boa semana.

Diabólica said...

TOPO DE GAMA,

LISBOA, meu amigo, a capital do país e da DESORDEM.

Pois é, mas é melhor comprares o "equipamento todo", se não já sabes ainda passas por uma destas!!! LOL

Pois, mas é que enquanto eles continuarem a trabalhar no público e a ganhar o $ que ganham, nós não conseguimos ir para lá.

E estamos no privado, a ganhar menos e c menos regalias...

P.S- Em relação ao LINDO, podes ficar com ele para ti.

E aqui vai outro para o Casanova: LINDO.

Sabes, é que não vos quero ver à porrada por minha causa, é que já não aguento ver homens a engalfenharem-se por minha causa!!!! LOL

Beijinhos e boa semana.


DIABBA;

Ah, pois é prima, mas segundo a visão desta madame, sim, é o que significa.

Quanto à tua pergunta:" já agora, se a minha mamã, k não percebe nada de aneis de curso, achar bonito determinado anel (de curso) o facto de o usar tranforma-a logo em Drª???.", mediante a actuação de q fui vítima, posso aferir que sim....

CÉDULA PROFISSIONAL, isso já devia ser areia a mais para a camioneta dela!!!! LOL
Conhece os anéis de curso, porque é mais curriqueiro.

Ainda te mostravas a CÉDULA DAS VACINAS!!!! LOL

Beijinhos e boa semana.


GRÃO VIZIR,

É que se não fosse assim, estava a pregar aos peixinhos.

Beijinhos e boa semana.


CASEMIRO DOS PLÁSTICOS,

Amigo, raiva é pouco, parece que estás a ser humilhado.

Beijinhos e boa semana.

L.C. said...

De visita a vários blogs, o teu fez-me parar para ler um pouco mais e depois mais um bocadinho e mais um bocadinho.. lol

Esta situação é inacreditável!!!! Já me deparei com coisas do outro mundo em repartições públicas, mas nunca nada deste género. Não sei não, mas se fosse comigo acho que ia "passar-me" completamente, correndo o risco de descer ao nível dela para que ela pudesse compreender-me. Anel de curso os meus pais querem oferecer-me mas não há dinheiro; há prioridades e um anel que vai passar a maior parte do tempo em casa definitivamente não me vai alimentar. Além de que não é o anel que diz a profissional que sou. Concordo com quem disse que educação e formação são coisas distintas, mas cá para mim essa "senhora" não tinha uma coisa nem outra.

Estou em choque! Vou ali tentar digerir bem isto...

Gostei do blog, vou linkar-te ;)

solitarioh2005 said...

uma história assombrosa.
Incrível.