Thursday, May 28, 2009

A Nódoa (Jornal Nacional - 6ª Feira da TVI)!



Mais um exemplo da arrogância profissional e pessoal da “jornalista”, Manuela Moura Guedes.

Esta senhora demonstra não ter o mínimo de brio profissional, educação e capacidade para o exercício da função a que se propõe.

Mostra um profundo desconhecimento do código deontológico dos jornalistas, profissão que continua a exercer sabe deus porquê….

A sua arrogância é tal que se julga com plenos poderes para julgar tudo e todos, sem que para isso necessite de provas, de factos efectivos.

Vale tudo para alimentar o espectáculo mediático, decadente , pouco profissional e nada ético que é o Jornal Nacional - 6ª Feira da TVI.

Depois dos ataques constantes ao primeiro-ministro José Sócrates, é agora a vez do Bastonário da Ordem dos Advogados, Dr. Marinho Pinto. Pessoa que diga-se de passagem é um excelente profissional, com provas dadas na área jurídica e não só.

Na minha opinião a reacção do Dr. Marinho P. é perfeitamente justificada e apenas pecou por tardia.

Se fosse comigo, garanto-vos que não teria a paciência de santo que este senhor teve!
Eu, abandonava os estúdios deste canal de televisão logo nos primeiros 7 minutos desta pseudo entrevista! Pois, já aí era perfeitamente visível a “sede” de sangue, de vingança de Manuela Moura Guedes.

Afinal, permita-me a questão:

Dr.ª Manuela onde ficaram valores como a isenção, o rigor, a imparcialidade??? Valores esses que, diga-se de passagem, são estruturantes para o exercício da profissão!

Presumo, que apenas “cravados” no Código Deontológico que regula a profissão, e que foi aprovado” em 4 de Maio de 1993, numa consulta que abrangeu todos os profissionais detentores de Carteira Profissional”.

Para mim se o conhece, o que duvido, é claríssimo que não o adoptou, o que é grave…

Pelo sim, pelo não e para evitar posteriores ataques à classe, deixo-lhe algumas regras elementares e que deveriam ter pautado a sua entrevista:

1.”O jornalista deve relatar os factos com rigor e exactidão e interpretá-los com honestidade(...). A distinção entre notícia e opinião deve ficar bem clara aos olhos do público".

2- “.O jornalista deve combater a censura e o sensacionalismo e considerar a acusação sem provas e o plágio como graves faltas profissionais”.


5.”O jornalista deve assumir a responsabilidade por todos os seus trabalhos e actos profissionais”.

Tendo como base o ponto 5,bem como todo este triste espectáculo, por si protagonizado,e que nos deixa a todos envergonhados, sugiro que abandone a carreira ou então que, no mínimo, vá fazer uma reciclagem das matérias que deveria ter aprendido na universidade, na qual suponho que tenha andado.

Quem se comprometer a respeitar as normas deontológicas, exercerá, com certeza e necessariamente, um jornalismo responsável, por isso credível, o que será o expectável.

Quantos aos meus estimados leitores apenas vos peço que vejam o vídeo e que retirem as vossas conclusões... Vão ver que não se irão arrepender!

Saudações diabólicas.

18 comments:

Sapo said...

E muita paciência ele teve já que a dita entrevista demorou perto de 20 minutos e ele só se fartou depois de a ouvir durante 15 m. que no meu livro dá ao sr direito a ser chamado de santo, pois a paciência deles já tem.

Como já disse um dia destes essa pessoa devia ter vergonha na "cara", ela só está ali por ser casada com quem é, noutro país já tinha sido despedida há muito, mas paciência é o país que temos....

Bernardo Lupi said...

Isto foi um momento tenebroso a nível do jornalismo. Estiveram os dois muito mal!

afectado said...

Como já disse no meu blog a Manuela Moura Guedes e o Marinho Pinto estão ao mesmo nível rasteiro.

Dizes que ela viola o código deontológico, e viola mesmo, mas não dizes que ele tem cuidado mal dos interesses das pessoas da Ordem dele, que ele tem feito acusações a torto e a direito que são totalmente inconsequentes e não servem de nada pois nunca concretiza com nomes (o que revela que só procura aparecer), entre outras coisas. Mas nem serei eu a pessoa mais indicada para te explicar as razões pelas quais ele é também muito desaconselhável. O melhor é percorreres alguns blogs de pessoas que têm a ver com direito. Em cada 10, 9 estão contra ele (não neste caso em particular, mas na sua acção em geral). É verdade que ganhou com maioria, mas não é menos verdade que neste momento jamais voltaria a ganhar as eleições da Ordem pois ele é um verdadeiro flop.

Para não me alongar mais deixo os links para os três posts que fiz sobre o assunto. Se alguém estiver interessado, que passe lá, senão, por aqui já perceberam mais ou menos a minha ideia!

http://afectado.blogspot.com/2009/05/menos-menos.html

http://afectado.blogspot.com/2009/05/manuela-moura-guedes-vs-marinho-pinto.html

http://afectado.blogspot.com/2009/05/must-read.html


PS: Que se perceba que não defendo a Manuela Moura Guedes e que gosto tanto dela como tu...

QJ said...

olá

por acaso não pude ver a entrevista, mas pelo que li e que me contaram... não perdi grande coisa.

de facto a Nelinha esteve mal... mas ela quando se trata de entrevistar individualidades a maior parte das vezes fica mal, começando pela falta de profissionalismo que já se torna habitual, e de educação.

Quanto ao Dr. Marinho Pinto... bem... a forma como decidiu gerir e representar os Advogados, começa a confundir-se com outra coisa qualquer, faz parte das responsabilidades do Bastonário representar os advogados e os interesses deles, será que os representa?

resumindo, a Nelinha, devia ir meter mais um bocado de botox ou outra coisa qualquer que lhe metesse a boca fechada, o Sr. Bastonário no que toca a dar na Nelinha e na TVI esteve bem (qualquer um que dê neles, só se perdem as que caem no chão), o que também se nota pelas vezes que o marido da Nelinha.... ups, pelas vezes que o Director Geral da TVI vem fazer comunicados em defensa da honra...

Quanto ao Sr. Bastonário em concreto, tenho muitas dúvidas quanto ao que ele anda a fazer, e se anda de facto a representar e defender os interesses dos advogados, quanto a isso, eu acho que ele não anda.

Saudações provocantes

korrosiva said...

Acho que ambos deixam muito a desejar!!

beijinhos

João said...

Já quando apresentava todos os dias era horrivel, e agora parece perfeitamente na mesma...

Na minha opinião, em relaçao a quem diz que ambos tiveram mal, é que apenas ela é que teve muito mal, uma vez que o jornalista profissional tem de seguir à risca aquilo que mais importante o define, que é a isenção de opinião e limitar-se apenas à entrevista em si sem tecer juizos...

Tal como o Sapo disse, creio que apenas por estar casada com quem está é que ainda se encontra ali, porque só do que sucedeu nessa entrevista já dava muito azo a despedimento...

Até porque creio que toda a gente tem a vaga ideia de que ela como jornalista vale zero...

Muito bem esteve esse senhor na reprimenda!

Tá-se bem! said...

É nestas alturas que eu só confio no "ARIEL" eheheheh :p

O Pinoka said...

Quanto a essa senhora nem vou comentar. Quem visita o meu canto sabe o que penso dela. Quanto a Marinho Pinto, sempre gostei dele, agora mais ainda. Já percebi que haverá muito quem não o aprecie por ele defenter pouco os advogados, eu gosto dele porque defende a advocacia. Há aqui uma grande diferença.

Beijocas

Diabólica said...

SAPO,

Concordo a 200%!

Será que me devia ter casado com o Moniz??!

Beijinhos.

Diabólica said...

BERNARDO LUPI,

Respeito, mas não concordo.

Qualquer pessoa devidamente provocada, como foi o caso, reage da forma como o Dr. Marinho P.

Mas, atenção esta é apenas a minha opinião, nada mais do que isso.

Bjcs.

Diabólica said...

AFECTADO,

Compreendo a tua posição, mas permite-me discordar contigo.

Acho que ele defende os advogados, mas não os pseudo- advogados que vivem de interesses instalados e de enganar o próximo, sem dignificar nada a classe e a profissão.

Mas, esta é apenas a minha humilde opinião e vale o que vale...

Diabólica said...

QJ,

Pois, mais uma vez sou "forçada" a discordar.

Acho que ele defende os advogados, mas não os pseudo- advogados que vivem de interesses instalados e de enganar o próximo, sem dignificar nada a classe e a profissão.

Mas, esta é apenas a minha humilde opinião e vale o que vale...

Diabólica said...

KORROSIVA,

Como poderás ler acima não tenho essa opinião, mas poderei estar errada, embora ainda não esteja convencida disso...

Diabólica said...

JOÃO,

"Na minha opinião, em relaçao a quem diz que ambos tiveram mal, é que apenas ela é que teve muito mal, uma vez que o jornalista profissional tem de seguir à risca aquilo que mais importante o define, que é a isenção de opinião e limitar-se apenas à entrevista em si sem tecer juizos...", não podia estar mais de acordo.

Faço das tuas as minhas palavras e acrescento: " Quem anda à chuva molha-se", ou seja ela disse o que quis, ouviu o que não quis.

Diabólica said...

TÁ-SE BEM

E é o que fazes de melhor! Looooooool

Diabólica said...

PINOKA,

Disseste, precisamente, aquilo que penso e que estava a ter dificuldades em expressar.

Obrigada!

afectado said...

Estás enganada. Conheço alguns advogados, na sua maioria gente jovem, que não são pseudo-advogados que vivem de interesses instalados e de enganar o próximo, e que têm sido muito prejudicados por decisões do Marinho Pinto.

O problema do Marinho Pinto é que é um fogueteiro, ou seja, denuncia tudo e todos mas é inconsequente... e porquê? Porque faz acusações vagas! Se sabe de coisas, que diga, mas concretamente! Não é atirar suspeições para o ar, prejudicando a classe toda e depois nunca concretizar com nomes (o que mostra que ele não sabe nada do que diz saber).

Eu não sou advogado, por causa de pseudo-justiceiros da treta tipo o Marinho Pinto nunca o seria. Mas digo-te, se fosse, estava mais que descontente com ele. E eu não sou de viver de interesses instalados e de enganar o próximo!

Quando forem as próximas eleições na OA vais ver o resultado esmagador que ele vai sofrer. A não ser que acredites que 80% ou 90% dos advogados são a representação terrestre do diabo :)

Ana Campos said...

Esta manuela Moura Guedes é uma ordinária, uma vergonha para a classe e para as mulheres.