Friday, October 31, 2008

Maravilhas do Gel!

video


Belo gel!

Nunca duvidei, sempre ouvi dizer que é dos carecas que elas gostam mais!

Gostei do penteado, e talvez senti-lo não fosse má ideia!

O que vos parece meninas??!!

Este foi um momento de "relativa boa disposição"! ( Juro que pago os direitos de autor aos Gato)

Tenham um excelente fim-de-semana!

Saudações diabólicas.

Wednesday, October 29, 2008

Casamentos homossexuais: Sim ou não?

Hoje, o tema que trago ao vosso assentimento, já não é nenhuma novidade, mas como ainda não manifestei a minha opinião resolvi fazê-lo agora.

Falo -vos do "polémico" tema dos casamentos homossexuais.

Continuo a perguntar-me o porquê de tanta intransigência, da sociedade dita normal, em relação aos outros, só porque estes amam ,e assumem isso, pessoas do mesmo sexo?

A Constituição Portuguesa é inequívoca no seu artigo 13ª- Princípio da Igualdade ,quando afirma taxativamente: " que ninguém pode ser privilegiado ou prejudicado em função da sua orientação sexual" .

Ora, parece-me claro que quando um gay ou uma lésbica não tem acesso ao mesmo regime de protecção da sua relação, esse princípio é violado.

Independentemente de possíveis juízos de valor pessoais quanto ao casamento civil enquanto instituição, as consequências desta discriminação são reais e afectam as vidas de muitos casais de gays ou de lésbicas.

Também em Portugal, o facto de se atribuir o mesmo reconhecimento legal a casais de gays ou de lésbicas não terá qualquer implicação sobre a liberdade de outros.

Casais heterossexuais continuarão a ter exactamente a mesma liberdade de escolha. Nesta questão, liberdade e igualdade são, afinal, perfeitamente compatíveis.

Um passo fundamental nesse sentido será precisamente garantir que casais de gays ou de lésbicas que se amam e que se comprometeram a partilhar de forma plena as suas vidas possam ver esse amor e esse compromisso igualmente reconhecidos e valorizados pela sociedade que integram.

O que se pretende, se bem entendo, é apenas, que casais de gays ou de lésbicas tenham a mesma possibilidade de escolha que os casais heterossexuais já têm quanto ao contrato que definirá e protegerá a sua relação: para que se cumpra a igualdade, para que se cumpra a Constituição.

Agora pergunto eu: que direito temos nós, heterossexuais, de lhes tirar esses direitos, e essa alegria de ver a sua relação reconhecida???

Parece-me altamente incorrecto, do ponto de vista moral, para além de inconstitucional, que continuemos a não deixar que os outros também possam ser felizes, e integrados sem rizadas, piadas de mau gosto, olhares indiscretos...

Enfim, quem julgamos que somos?

Por mim, não temos esse direito.

Já tinha essa opinião, mas este fim-de-semana, confirmei a minha opção quando me deparei com um casal de lésbicas, que não tinham nenhum pudor em mostrar o amor que as unia.

Digo-vos sem qualquer tom de ironia, que era um quadro digno de se ver.

O amor é o sentimento mais bonito da humanidade, por isso que diferença faz se é entre pessoas do mesmo sexo, ou de sexo diferente?

E vocês caros leitores, o que acham deste problema social?

Apoiam o casamento homossexual?

Se não, porquê?

Saudações diabólicas.

Friday, October 24, 2008

Funerais ao som de AC/DC e Led Zeppelin!


Bem, cada vez mais o mundo me surpreende! Se calhar sou muito conservadora, ou tenho os valores trocados, não sei mesmo....

Na nossa vida todos passamos por momentos bons e por momentos maus. E de acordo, com cada uma destas situações, deveremos, ou será expectável que tenhamos uns comportamentos e não outros.

Que observemos determinados rituais, e fujamos a outros, mas isto sou eu...

Ao que vejo há pessoas com outras maneiras de estar na vida, diferentes, o que é salutar,não estou a dizer que estejam erradas, mas quanto a mim há limites.

E esta situação ultrapassa os limites do, para mim, aceitável, pela natureza da situação envolvente.

Se não veja-se: Num funeral, de uma maneira geral, as pessoas encontra-se consternadas, infelizes, a sofrer, e sem qualquer alegria. Não se trata de um casamento, ou de uma festa de aniversário, em que o ambiente é de festa, profunda felicidade, alegria. Para mim isto é um pouco linear, mas ....

Assim sendo, não me faz qualquer sentido que num funeral saiam os hinos religiosos, o respeito,e o clima "taciturno" e que se dê lugar aos clássicos do rock com " Starway to Heaven, de Led Zeppelin, e " Highway to Hell", dos AC/DC.

Todos sabemos que a tradição já não é o que era, mas a tradição que se vive em Adelaide, na Austrália, superou as minhas expectativas.

Aqui as músicas populares estão a entrar para a lista das "dez mais" dos cemitérios.

De acordo com o responsável pelo cemitério Centennial Park, apenas dois hinos tradicionais ainda estão entre as músicas mais populares nos enterros: «Amazing grace» e «Abide with me».

Agora, no topo do ranking está a canção «My way», interpretada por Frank Sinatra. Depois vem a versão de Louis Armstrong para «What a wonderful world». «Às vezes pedem para tocar músicas muito estranhas, mas que funcionam bem porque representam a personalidade da pessoa que está a ser homenageada» afirma Elliott.

Além de Led Zeppelin e AC/DC, outras escolhas incomuns são «Always look on the bright side of life», banda sonora do filme «A vida de Brian», dos comediantes britânicos dos Monty Python, e «Another one bites the dust», dos Queen.


O que vos parece toda esta situação?

Será isto “normal”?

Digam de vossa justiça.



Saudações diabólicas


Monday, October 20, 2008

Anúncio publicitário a um cemitério, so cá faltava esta! LoL

video

Só mesmo os brasileiros para se lembrarem disto!

Estes, se for preciso, até vendem as própria mães!

Isto há com cada um!!! LOL

O que vos parece esta forma "inovadora" de marketing?

Saudações diabólicas.

Wednesday, October 15, 2008

Comunicado de Osama Bin Laden!

video

E o mundo que o tem tratado tão mal!

Afinal ele é nosso amiguinho, já viram?!

Talvez por isso os tugas lhe tenham dado abrigo em Massamá! Mas, xiuuuuuuuu, que não é para se saber...

É caso para dizer, parafraseando o nosso ex- Selecionador Nacional: " E depois o terrorista é ele??!!( Bin Laden)

Saudações diabólicas.

Monday, October 13, 2008

Engenharia ao serviços dos alentejanos‏ :)))


Para começar bem a semana...

E esta hein os alentejanos, teoricamente, são lentos, mas que lá arranjam formas de se safar, lá isso é verdade!

É caso para dizer: " quem não tem cão caça com gato"!

Desde que "cace" não é??!!!, os meios justificam os fins !!!!! LOL

Bem, mas para isto ser realmente divertido, que era o que eu pretendia, a imagem devia mexer-se... mas que raio não consigo...

Conclusão: Eles precisam da Engenharia e eu preciso de um Informático! Lol

Mas, enfim conto com a vossa imaginação e boa vontade( as ventosas mexem o rabito do alentejano)

Saudações diabólicas e boa semana para todos/as.


Thursday, October 09, 2008

Sugestão cinematografica para o fim-de-semana


Venho até vós para vos aconselhar a verem o musical que foi até agora um dos musicais mais vistos e aplaudidos (por 30 milhões de pessoas em 170 cidades pelo mundo), ao som da música dos Abba.

Refiro-me a "Mamma Mia!"

Para mim, é sem dúvida o grande filme de Verão.

A história é uma bonita história bem interpretada e, quanto a mim, com uma das melhores bandas sonoras dos anos 70, os ABBA!

Donna (Meryl Streep) é uma mãe solteira e independente que gere um pequeno e idílico hotel numa ilha grega. A filha Sophie (Amanda Seyfreid) vai casar e para o casamento Donna convida as suas melhores amigas. Mas Sophie, que secretamente sonha encontrar o pai, faz também três convites inesperados. À ilha chegam três homens (Colin Firth, Pierce Brosnan e Stellan Skarsgard) que pertenceram ao passado de Donna, sendo que qualquer um deles pode ser o pai de Sophie. Em 24 horas, Donna desespera e tudo pode acontecer, até porque com um casamento por perto o romance anda no ar.

Acreditem, é uma história lindíssima e que faz o nosso coração bater mais rápido, por isso recomendo vivamente que vão ver este extraordinário musical!

Quem sabe este fim-semana?

Espero que se divirtam.

E, claro, contem o que acharam!

Beijinhos e bom fim-de-semana para todos.

Friday, October 03, 2008

"Portugal mente compulsivamente: Sobre si próprio e perante o mundo"!



Leiam este texto escrito por um professor de filosofia que escreve semanalmente para o jornal O Torrejano.

Tudo o que ele diz, é tristemente verdadeiro...


O atestado médico
por José Ricardo Costa

"Imagine o meu caro que é professor, que é dia de exame do 12º ano e vai ter de fazer uma vigilância.

Continue a imaginar. O despertador avariou durante a noite. Ou fica preso no elevador. Ou o seu filho, já à porta do infantário, vomitou o quente, pastoso, húmido e fétido pequeno-almoço em cima da sua imaculada camisa.

Teve, portanto, de faltar à vigilância. Tem falta.

Ora esta coisa de um professor ficar com faltas injustificadas é complicada, por isso convém justificá-la.

A questão agora é: como justificá-la?

Passemos então à parte divertida. A única justificação para o facto de ficar preso no elevador, do despertador avariar ou de não poder ir para uma sala do exame com a camisa vomitada, ababalhada e malcheirosa, é um atestado médico.

Qualquer pessoa com um pouco de bom senso percebe que quem precisa aqui do atestado médico será o despertador ou o elevador. Mas não. Só uma doença poderá justificar sua ausência na sala do exame. Vai ao médico. E, a partir deste momento, a situação deixa de ser divertida para passar a ser hilariante.

Chega-se ao médico com o ar mais saudável deste mundo. Enfim, com o sorriso de Jorge Gabriel misturado com o ar rosado do Gabriel Alves e a felicidade do padre Melícias. A partir deste momento mágico, gera-se um fenómeno que só pode ser explicado através de noções básicas da psicopatologia da vida quotidiana. Os mesmos que explicam uma hipnose colectiva em Felgueiras, o holocausto nazi ou o sucesso da TVI.

O professor sabe que não está doente. O médico sabe que ele não está doente. O presidente do executivo sabe que ele não está doente. O director regional sabe que ele não está doente. O Ministério da Educação sabe que ele não está doente.

O próprio legislador, que manda a um p rofessor que fica preso no elevador apresentar um atestado médico, também sabe que o professor não está doente.

Ora, num país em que isto acontece, para além do despertador que não toca, do elevador parado e da camisa vomitada, é o próprio país que está doente.

Um país assim, onde a mentira é legislada, só pode mesmo ser um país doente.

Vamos lá ver, a mentira em si não é patológica. Até pode ser racional, útil e eficaz em certas ocasiões. O que já será patológico é o desejo que temos de sermos enganados ou a capacidade para fingirmos que a mentira é verdade.

Lá nesse aspecto somos um bom exemplo do que dizia Goebbels: uma mentira várias vezes repetida transforma-se numa verdade. Já Aristóteles percebia uma coisa muito engraçada: quando vamos ao teatro, vamos com o desejo e uma predisposição para sermos enganados.

Mas isso é normal. Sabemos bem, depois de termos chorado baba e ranho a ver o 'ET', que este é um boneco e que temos de poupar a baba e o ranho para outras ocasiões. O problema é que em Portugal a ficção se confunde com a realidade. Portugal é ele próprio uma produção fictícia, provavelmente mesmo desde D.Afonso Henriques, que Deus me perdoe.

A começar pela política. Os nossos políticos são descaradamente mentirosos. Só que ninguém leva a mal porque já estamos habituados.

Aliás, em Portugal é-se penalizado por falar verdade, mesmo que seja por boas razões, o que significa que em Portugal não há boas razões para falar verdade. Se eu, num ambiente formal, disser a uma pessoa que tem uma nódoa na camisa, ela irá levar a mal.

Fica ofendida se eu digo isso é para a ajudar, para que possa disfarçar a nódoa e não fazer má figura. Mas ela fica zangada comigo só porque eu vi a nódoa, sabe que eu sei que tem a nódoa e porque assumi perante ela que sei que tem a nódoa e que sei que ela sabe que eu sei.

Nós, portugueses, adoramos viver enganados, iludidos e achamos normal que assim seja. Por exemplo, lemos revistas sociais e ficamos derretidos (não falo do cérebro, mas de um plano emocional) ao vermos casais felicíssimos e com vidas de sonho.

Pronto, sabemos que aquilo é tudo mentira, que muitos deles divorciam-se ao fim de três meses e que outros vivem um alcoolismo disfarçado. Mas adoramos fingir que aquilo é tudo verdade.

Somos pobres, mas vivemos como os alemães e os franceses. Somos ignorantes e culturalmente miseráveis, mas somos doutores e engenheiros. Fazemos malabarismos e contorcionismos financeiros, mas vamos passar férias a Fortaleza. Fazemos estádios caríssimos para dois ou três jogos em 15 dias, temos auto-estradas modernas e europeias, mas para ver passar, a seu lado, entulho, lixo, mato por limpar, eucaliptos, floresta queimada, barracões com chapas de zinco, casas horríveis e fábricas desactivadas.

Portugal mente compulsivamente. Mente perante si próprio e mente perante o mundo.

Claro que não é um professor que falta à vigilância de um exame por ficar preso no elevador que precisa de um atestado médico. É Portugal que precisa, antes que comece a vomitar sobre si próprio."


Faz pensar não faz??? Para mim, é uma excelente forma de constatar o "estado de sítio" em que o nosso país se encontra....

Deixem as vossas opiniões, o que vos apraz dizer perante este cenário?

Saudações diabólicas.