Friday, October 24, 2008

Funerais ao som de AC/DC e Led Zeppelin!


Bem, cada vez mais o mundo me surpreende! Se calhar sou muito conservadora, ou tenho os valores trocados, não sei mesmo....

Na nossa vida todos passamos por momentos bons e por momentos maus. E de acordo, com cada uma destas situações, deveremos, ou será expectável que tenhamos uns comportamentos e não outros.

Que observemos determinados rituais, e fujamos a outros, mas isto sou eu...

Ao que vejo há pessoas com outras maneiras de estar na vida, diferentes, o que é salutar,não estou a dizer que estejam erradas, mas quanto a mim há limites.

E esta situação ultrapassa os limites do, para mim, aceitável, pela natureza da situação envolvente.

Se não veja-se: Num funeral, de uma maneira geral, as pessoas encontra-se consternadas, infelizes, a sofrer, e sem qualquer alegria. Não se trata de um casamento, ou de uma festa de aniversário, em que o ambiente é de festa, profunda felicidade, alegria. Para mim isto é um pouco linear, mas ....

Assim sendo, não me faz qualquer sentido que num funeral saiam os hinos religiosos, o respeito,e o clima "taciturno" e que se dê lugar aos clássicos do rock com " Starway to Heaven, de Led Zeppelin, e " Highway to Hell", dos AC/DC.

Todos sabemos que a tradição já não é o que era, mas a tradição que se vive em Adelaide, na Austrália, superou as minhas expectativas.

Aqui as músicas populares estão a entrar para a lista das "dez mais" dos cemitérios.

De acordo com o responsável pelo cemitério Centennial Park, apenas dois hinos tradicionais ainda estão entre as músicas mais populares nos enterros: «Amazing grace» e «Abide with me».

Agora, no topo do ranking está a canção «My way», interpretada por Frank Sinatra. Depois vem a versão de Louis Armstrong para «What a wonderful world». «Às vezes pedem para tocar músicas muito estranhas, mas que funcionam bem porque representam a personalidade da pessoa que está a ser homenageada» afirma Elliott.

Além de Led Zeppelin e AC/DC, outras escolhas incomuns são «Always look on the bright side of life», banda sonora do filme «A vida de Brian», dos comediantes britânicos dos Monty Python, e «Another one bites the dust», dos Queen.


O que vos parece toda esta situação?

Será isto “normal”?

Digam de vossa justiça.



Saudações diabólicas


14 comments:

Sapo said...

Bem algumas dessas musicas até não são más, mas num funeral, nós os portugueses nunca colocamos musica nos funerais, pelo menos aqueles que eu fui, como tu disseste acho que é de mau gosto, musica de qualquer tipo...

Diabólica said...

Pois as músicas são bastante boas, e todos nós somos que morrer é o "our way" e que devemos "always look at the bride side of life", mas daí a isto???!!!

Caramba, estou velha!

Eu também nunca fui a nenhum, e espero não ir, porque acho que me venho logo embora, não vá o filho do morto me convidar para dançar uma valsa à volta do caixão do seu pai!!!! LOL

Beijinhos diabólicos.

Rei da Lã said...

Nem na hora da morte os defuntos encontram o sossego...

Diabólica said...

REI DA LÃ,

Pois é o que também acho, mas gostei de sondar para ver se estou fora de prazo....

Beijinhos diabólicos.

João Filipe Ferreira said...

bem, isto já acontece aos anos lá fora..nós aqui no burgo ainda não estamos abertos a essas modernices...
não sou contra...até porque a musica é também um bater de alma...no entanto destaco um artigo sobre o tema que li algum tempo, onde faziam o ranking, ou seja, o top 10 das musicas passadas em funerais...destaco uma que gosto, mas que acho curiosa para ser tocada num funeral: "I WANNA LIVE " Ramones

ehehe
beijinho e obrigado pela atenção que sempre me dás...

QJ said...

olá!

bem o pessoal está mais criativo...

veja-se em nova orealans (ou lá como se escreve) a música tradicional.

as tradições vão-se quebrando e criam-se outras em substituição, veja-se a tradicional viúva portuguesa de preto eterno, cada vez mais estão a desaparecer optando pela continuação de usar a sua roupa de sempre, e não o preto.

Grão Vizir said...

Gente muito inteligente tem sempre pancas idiotas...Qualquer dia até reggaeton passam nisso...

Crest© said...

Eu moro em Hamburgo na Alemanha. Tradicionalmente durante a cerimónia familiar de ultimo adeus, nas capelas dos cemitérios é sempre tocada uma musica, a favorita do defunto.

Se morre um amante do metal, um gótico, um punk, a musica será dentro dos gostos do defunto e nem sempre das mais "adequadas" a serem tocadas num local religioso.

Eu acho giro, contrasta com o mórbido exagerado dos nossos funerais

Diabólica said...

JOÂO F. FERREIRA,

Pois é então uma questão cultural, de costumes e de mentalidades....

Também adoro a música de que falas, mas também me parece curioso tocá-la numa cerimónia fúnebre... Estou certa de que o morto, caso pudesse falar, quereria viver, mas como já está morto é incompatível!!! LOL

Quanto à atenção, não sejas tonto estamos cá para isso, por isso dispõe sempre, se eu puder cá estou.

Beijinhos grandes.

Diabólica said...

GI,

A tradição, definitivamente, já não é o que era. Quanto ao preto, eu sou um exemplo disso. O meu pai faleceu há 3 meses e eu não ando de preto, porque para mim o meu luto, está em mim, no meu interior, não vejo necessidade de o exteriorizar através das vestes, mas respeito quem o faz, desde que seja sentido e não apenas para fazer ver aos vizinhos, amigos ou familiares.

Isso não é nada, devemos é tratar bem a pessoa em vida, mas esta é apenas a minha opinião e vale o que vale.

Beijinhos diabólicos

Diabólica said...

GRÃO VIZIR,

"reggaeton" LOOOOOOOOOOOOOOL!

Bem já não digo nada, já não ponho as mãos no fogo, porque posso-me queimar:))))

Beijokas.

Diabólica said...

CREST,

Olha pode até ser, temos que respeitar as idiossincrasias de cada um.

Se é esse o seu último desejo, ou a homenagem que lhe pretendem fazer, compreendo, mas que me vai custar a habituar lá isso vai...

Beijokas.

Miguel said...

bem tu andas a falar muito em cemitérios lol

eu acho isso uma questão ambígua... se calhar a pessoa até deixou em testamento que quer ser enterrada ao som de uma música alegre ou assim.. há gente para tudo lol

beijinho

Diabólica said...

MIGUEL,

Pois, se calhar é inconsciente porque o meu pai partiu há pouco....

Só se for mesmo o último desejo, de resto embora respeite, não me sinto ainda muito à vontade.

Beijinhos.